Juiz anula cobrança da Oas no butantã/bancoop – contrato foi cancelado!

NOVA VITÓRIA CONTRA A INCORPORADORA 

OAS/BANCOOP
 
(BUTANTàROBERTO E LÍGIA)Desta vez a Dra. Luíza conseguiu ANULAR o contrato assinado
com a  OAS.

A sentença foi ESPETACULAR, e ajuda a tranquilizar as vitimas
da Bancoop onde A CONSTRUTORA SUCESSORA DA BANCOOP
NOS CONTRATOS  OAS ESTA  ENTRANDO.

Segue mais um exemplo que mostra a verdade escondida por
alguns ADVO-NÓQUIOS (advogado misturado com Pinóquio) –
que em alguns inacabados tentam ENFIAR GOELA ABAIXO
A CONSTRUTORA AMIGA DA BANCOOP. – criando novos custos.

 
==============================================Veja a vitória de ROBERTO E  LIGIA NO BUTANTA CONTRA
A BANCOOP/OAS

==========================================

A ação foi :
0180951-63.2012.8.26.0100

ROBERTO  BATISTA DA SILVA E OUTRA aparelharam ação de
conhecimento contra a COOPERATIVA HABITACIONAL DE BANCÁRIOS
DE SÃO PAULO-BANCOOP e a OAS EMPREENDIMENTOS S/A,
com pedidos declaratório e condenatório.

———————————


O que ROBERTO E LIGIA PLEITEAVAM ?
busca-se comprovar compra e venda parcelada de apartamento
em que ocorreu propaganda enganosa e desvirtuamento da natureza
jurídica da primeira ré que, ao invés de atividade cooperativista,
passou a exercer incorporação imobiliária comercial, estando,
portanto, a relação jurídica entre as partes regida pelas regras
do CDC.

Nova cobrança:

A primeira ré (Bancoop) teria cedido o empreendimento imobiliário
à segunda ré, OAS, com obrigação de desligamento com a BANCOOP.

Aduz o pagamento integral do preço do imóvel e inexistência de
qualquer saldo residual, não havendo comprovação do débito
reclamado, sendo os valores apurados unilateralmente.

Decisão RESUMIDA:Juiz diz:

Trata-se de questão bastante SURRADA na jurisprudência desta

E. Corte
 
(esta frase do juiz desmente o advo nóquio que falou que mover 
ação contra o grupo empresarial bancoop/OAS é aventura jurídica)Aplica-se ao caso o Código de Defesa do Consumidor, já que a primeira

ré, como facilmente se verifica, atuava no mercado como empreendedora
imobiliária, com atividade voltada ao lucro, ampla divulgação publicitária,
lançamento de dezenas de empreendimentos e vendas ao público em
geral, e não somente aos bancários.
Há nos autos prova contundente de quitação integral da unidade,
como se vêm na totalidade dos comprovantes de quitação
(pelo cooperado).

Dessume-se dessa imensa controvérsia que a segunda ré (OAS)
jogou  o furo deixado pela primeira (BANCOOP)  nas costas de todos
os aderentes; rasgou os contratos ao fundamento de que
a incorporação havia sido feita a preço de custo, e havia saldo
devedor em aberto de molde a inviabilizar o empreendimento
nos termos primitivos.

———————————

JUIZ FALA DA ASSEMBLEIA DE TRANSFERÊNCIA:

A autorização Assemblear não podia (e nem pode) afetar direitos
 já adquiridos de quem contratara antes, não podendo vincular
todos os cooperados.

 
(quer dizer: se você mora e quitou, a assembleia de transferência para 
a OAS ou condomínio de obras, não lhe afeta, novamente o juiz desmente 
os advo noquios)

Não poderiam as rés (BANCOOP E OAS)  também, exigir dos adquirentes
que já receberam a posse precária de suas unidades o pagamento de
expressiva quantia suplementar, sob argumento de que se trata de
resíduo de custeio de obras no regime cooperativo, apurado sem base
em critérios objetivos, apenas com fundamento em rombo de caixa da
empreendedora.
 
(OAS não pode exigir nada de voce – ela que lhe deve a escritura
se entrar)——————————-

OAS DEVE ESCRITURAR PARA MORADOR SEM CUSTOS DIZ JUIZ:

Daí porque legítima a imposição de outorga da escritura definitiva do
imóvel, já que, quitado o preço do negócio com a Cooperativa, está
garantido o direito de domínio, consagração do direito real
(art. 1225, I e 1227, do CC).

—————————

OAS ASSUMIU – DEVE DAR ESCRITURA PARA MORADOR DE

INACABADO SEM COBRAR NADADe rigor, assim, a outorga de quitação nos termos preconizados no pedido
inicial; eventual diferença de preço em relação à OAS por ela devendo ser

 suportada, já que a parte consumidora não se acha sujeita a preço de mercado.Noutras palavras, contratou por preço certo e o solveu (QUITOU TERMO

DE ADESAO)  isso é o que verdadeiramente interessa, nada tendo a ver com
 a péssima gestão da BANCOOP, como sistematicamente tem sido decidido
 por esta Corte.DECISÃO FINAL:

JULGO PROCEDENTE o pedido para DECLARAR
inexigível a cobrança relativa ao resíduo, reconhecendo a quitação
quanto aos valores devidos referente ao contrato firmado e
para CONDENAR as rés, em solidariedade, à outorgar escritura definitiva,
sob pena de adjudicação compulsória, valendo esta sentença
como título hábil ao registro da transmissão da propriedade.

São Paulo, 05 de setembro de 2013
Juiz Dr. FABIO COIMBRA JUNQUEIRA.

Veja na integra:

http://es.scribd.com/doc/167901683/0180951-Roberto-Batista-Butanta-Oas

===================================

Caso more em INACABADO BANCOOP e queira dados técnicos
desta decisão o contato da advogada é:

Dra Luiza Mestieri
www.mddireito.com.br
(13) 3877-2357
(11) 3081-0588

——————————————-

RESUMO:

Se você mora em inacabado Bancoop, quitou parcelas, nada
deve para a construtora amiga da Bancoop, a OAS.

O discurso de que deve pagar valores a OAS, que fica com
o ESTOQUE MILIONÁRIO, E DEPOIS VENDE, sem repartir com
as vitimas é furado.

É feito por advogados que viraram GAROTO PROPAGANDA DE
CONSTRUTORAS.

Tal discurso não combina com opiniões judiciais.

Principalmente porque estes novos PACTOS comerciais objetivando
apenas fazer as vitimas da Bancoop pagar mais pelos prejuízos
da diretoria da Bancoop podem ser RECUSADOS PELAS VITIMAS
QUE JÁ MORAM FACILMENTE.

———————————————

Veja o que o juiz disse:

nada tendo a ver com a péssima gestão da BANCOOP, como
sistematicamente tem sido decidido por esta Corte…

Se mora e quitou o contrato com a INCORPORADORA BANCOOP
ninguém pode lhe cobrar nada.

Não assine nada e estará livre!

Cuidado, algumas associações FRACASSARAM e foram dominadas
por garoto propaganda de construtora.

Se ver isso, mova sei processo individualmente saindo da
associação fracassada!

Este processo acima durou apenas 1 ano!

Use a inteligência!

=================

ALERTA – PRESCRIÇÃO


CASO VOCÊ NÃO TENHA AÇÃO CONTRA A BANCOOP
TOME MUITO CUIDADO .
(ou se sua associação FRACASSOU)

Cuidado com prazo da PRESCRIÇÃO – momento em
que  você não pode exigir mais nada JUDICIALMENTE.

O prazo é de 10 anos da data da entrega da unidade
ou da falta da entrega.

Por isso se você mora em INACABADO, NÃO MORA
EM INACABADO,mora e não tem escritura –

MOVA SEU
PROCESSO EXIGINDO SEUS DIREITOS!

 
Fórum -MCB
Movimento dos Clientes Bancoop
Anúncios

About Verdades Bancoop

VITIMAS DA BANCOOP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: